terça-feira, 25 de junho de 2019

GPS - Recalculando a Rota | Pr. Thiago Convento



Pr. Thiago Convento
Introdução

Quando olhamos que a Revelação Geral (Criação e a Consciência) é insuficiente para o homem ser salvo por conta do pecado, a pergunta que fazemos é: Como Deus se fez revelar ao homem de uma forma especial, que ele viesse a compreender sobre Quem é Deus, Quem ele é e o Que Deus fez por Ele? Este será o conteúdo que você irá ler. Antes de entrarmos no assunto, você já deve ter sido guiado pelo GPS (Global Positioning System – Sistema de Posicionamento Global) quando queria ir do Ponto A para o Ponto B.
Mas, antes de falarmos sobre o GPS que você tem no seu smartphone, preciso falar sobre como era antes o sistema de navegação. Os chineses foram os primeiros a perceber que os imãs possuíam diferentes polos e que a Terra exercia uma ação sobre eles. Eles passaram a usar suas funções no ano 1100 d.C., dando início ao uso da bússola. Após eles os árabes utilizaram a técnica, porém se tornou famosa no fim do século XII com os europeus.
Esta descoberta no passado tem uma grande importância para os dias atuais, principalmente na aviação, na navegação ou para trilhas ecológicas na selva ou travessias no deserto. Ela tem a finalidade de orientar de forma segura o melhor trajeto a seguir, seja o caminho do aviador, do navegador, do escoteiro ou até mesmo do viajante.
Hoje não carregamos uma bússola para nos orientar onde ir, mas temos os nossos smartphones que possuem GPS e aplicativos de navegação (GoogleMaps, Waze e outros) e eles nos orientam de forma precisa o ponto de partida e o ponto de chegada. Criado em 1973, porém usado publicamente no ano de 1995, o GPS facilitou os sistemas de navegação. Sabia que ele funciona graças a um conjunto de 31 satélites que circundam a Terra, numa atitude de aproximadamente 20.200 km e a uma velocidade de quase 11.500 km/h?
Em qualquer lugar do mundo, o aparelho receptor (dispositivo GPS) recebe as informações de um grupo de quatro destes satélites e, através da troca de dados e algoritmos, consegue determinar para o utilizador a sua exata localização no mapa. O GPS tem a principal função de encontrar o caminho para um determinado local, saber a velocidade e a direção do seu deslocamento.
Da mesma maneira, no nosso relacionamento com Deus precisamos de uma orientação segura, infalível e que nos guie pelo melhor caminho. Para isso, o Senhor Deus nos deu a Bíblia, o GPS do cristão. Neste estudo iremos abordar da necessidade que temos da Bíblia.

Porque Precisamos da Bíblia

No texto anterior, mostramos que um dos propósitos de Deus para a sua criação era revelar o seu poder, a sua glória, majestade e soberania (Salmo 19.1). Adão e Eva, os dois primeiros seres humanos, poderiam olhar para tudo que foi criado e compreenderiam estas verdades, pois havia uma revelação especial antes do pecado (Gênesis 2.15-17, 19 e 22; 3.8).
Nos dias de hoje, a Criação também tem estes propósitos e revela a respeito de Deus o suficiente para que todo homem seja culpado diante de Deus (Romanos 1.20), e ao mesmo tempo, ela é insuficiente para guiar o caminho da Salvação, da real necessidade que todo homem e mulher tem de ser salvo através de Cristo Jesus. Logo, se faz necessário as Escrituras, pois, o conhecimento que Deus quer que tenhamos Dele está revelado nas Escrituras.
Interessante que a própria Bíblia declara qual é o objetivo em diversas passagens, mas uma com grande destaque: “15 Desde a infância lhe foram ensinadas as Sagradas Escrituras, que lhe deram sabedoria para receber a salvação que vem pela fé em Cristo Jesus. 16 Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para nos ensinar o que é verdadeiro e para nos fazer perceber o que não está em ordem em nossa vida. Ela nos corrige quando erramos e nos ensina a fazer o que é certo. 17 Deus a usa para preparar e capacitar seu povo para toda boa obra” (2Timóteo 3.15-17). Nestes pequenos versos, o apóstolo Paulo transmite tanta a origem quanto o tema da Escritura: Sua Origem: “Inspirada por Deus” e seu Objetivo: “Útil” a todos os seres humanos. Logo, ela nos é útil porque tem o sopro de Deus – é inspirada por Deus.

Bússola Descalibrada

Você sabia que um dos motivos de rota errada em um GPS é a bússola descalibrada? Como assim, achei que não usávamos mais bússola? Sim, todo GPS possui uma bússola e se ela estiver desregulada, o dispositivo irá receber informações de orientação erradas, o que pode causar problemas quando se usam aplicativos de navegação. O pecado fez isso com o homem e a mulher, a incapacidade de perceber a glória do Deus Criador através de tudo criado (Romanos 1.21 e 25) e de guia-los a um relacionamento autêntico e real com Deus.
Os dois versículos acima, deixa claro que os homens “inventaram ideias tolas e, com isso, sua mente ficou obscurecida e confusa” e trocaram a verdade sobre Deus pela mentira”. Logo, o homem não tem a capacidade por si só de compreender a vontade de Deus. O pecado entorpeceu a mente humana de tal forma que o homem chega até mesmo negar a própria existência de Deus – 1 Os tolos dizem em seu coração: Não há Deus. São corruptos e praticam o mal; nenhum deles faz o bem” (Salmo 14.1).
O homem necessita de orientação segura, infalível e dada pelo próprio Deus, senão o resultado sempre será a idolatria, das mais variadas. Isto fica claro quando nos deparamos com as diversas histórias que encontramos na Bíblia, e uma destas histórias se encontra no Antigo Testamento (AT) no episódio da saída de Israel do Egito e sua peregrinação no deserto.
Moisés recebeu diretamente de Deus a Sua Lei e ele comunicou ao povo esta mesma Lei, para que eles soubessem quem Deus era e o que Ele queria do seu povo. A transmissão da Revelação Especial era tão necessária, que no momento que Moisés se ausenta para receber a Lei, o povo resolveu fabricar um ídolo, um bezerro de ouro (Êxodo 32.1-10). Isso nos mostra que, constantemente precisamos ser calibrados pela Palavra de Deus, se não iremos seguir os diversos caminhos da idolatria.

Descobrindo os Tesouros da Bíblia

A Bíblia não é o Google para satisfazer as nossas curiosidades, sejam elas científicas, geográficas, matemáticas, biológicas ou arqueológicas, apesar de que tudo o que nela está escrito nesse âmbito é verdadeiro e isento de erros. Ela também não é um “livro de adivinhações” ou uma “caixinha mágica” que tiramos a “sorte” por meio de um versículo. Descobrimos um grande tesouro quando lemos a Bíblia – “162 Alegro-me em tua palavra, como quem descobre um grande tesouro” (Salmo 119.162).
No ano de 1985, o diretor Steven Spielberg produziu um dos filmes que mais gosto, Os Goonies (The Goonies), que conta a história de cinco meninos (Mickey, Brand, Bocão, Dado e Gordo) que partem em busca do tesouro de Willy Caolho. Não só as armadilhas deixadas por Willy Caolho por entre as cavernas e trilhas subterrâneas que trazem tensão e adrenalina para aqueles que estão assistindo, mas o suspense da perseguição da família de bandidos italianos, Os Fratelli e a doçura do valente e destemido Sloth - “Chocolate”. Seguiam um mapa em busca de um tesouro. Assim, encontramos nas Escrituras um grande tesouro, quando lemos, estudamos, meditamos e compartilhamos. Vejamos alguns destes tesouros que encontramos nas Escrituras.

A. O Tesouro do Conhecimento de Deus

O conhecimento de Deus é algo vital ao homem para que ele possua a vida eterna (Oséias 6.3; João 17.3). Logo, desconhecer a Deus é a ruína de todo homem (Oséias 4.6). Com um drone conseguimos ver uma ampla floresta, campo ou cidade, mas não conseguimos ver os detalhes quando estamos presencialmente na floresta, no campo ou na cidade.
Assim, através da natureza percebemos a grandiosidade, poder e criatividade de Deus, mas através das Escrituras temos um conhecimento maior de Deus, sobre o seu ser, seus atributos, decretos, sobre aquilo que Ele quer de nós e o que devemos crer sobre Ele –

B. O Tesouro da Vontade de Deus

Vivemos tempos que muitos procuram descobrir de muitas formas a vontade de Deus para sua vida. A aqueles que procuram por meio do horoscopo, por meio do pensamento positivo, algum guru espiritual (do tipo: Yoda, Gandalf ou Albus Dumbledore), por um teste da revista Atrevida ou TodaTeen ou até mesmo o youtuber que seguem.
No meio cristão há também aqueles que procuram rotas alternativas para se descobrir a vontade de Deus, indo a procura de “profetas” que trazem supostas “profecias” por meio de manifestações especiais. No entanto, a própria Bíblia nos revela que o que de Deus se pode conhecer já foi revelado e é para que nós seguíssemos a sua regra (Deuteronômio 6.1-3; 29.29; Salmo 1.3; Mateus 7.24-27; Romanos 15.4; 2Timóteo 3.16-17; Hebreus 1.1-2). Deixemos de lado as outras fontes de revelações, e agarremo-nos aos ensinos das Escrituras, pois são suficientes (Josué 1.7-8).
A Bíblia é a única rota segura para nós (Salmo 18.3; 25.8-9 e 12; 32.8; 86.11; 119.33). Todos os conselhos e ideias que recebemos, sejam da parte dos nossos pais (Efésios 6.4) e líderes espirituais (1Coríntios 4.1-2), não podem contrariar aquilo que já está nas Escrituras. Por isso, procuremos sempre na Bíblia a vontade de Deus para nós.

C. O Tesouro da Salvação

Nos versos que citamos acima para falar da Origem e do Objetivo das Escrituras, Paulo escreve a Timóteo qual o propósito supremo da Bíblia: instruir seus leitores “para a salvação”. O pecado nos separou por completo do relacionamento com Deus (Isaías 59.1-2), com os outros e com a criação. Por nós mesmos ou por meio da criação, não possuímos nenhum conhecimento que nos leve a Cristo. Por isso, se faz necessário que haja uma Palavra que aponte a direção aos homens e mulheres perdidos. Esta Palavra é o Evangelho que está nas Escrituras.
Assim, não existe cristianismo sem a mensagem da Bíblia, pois somente através dela sabemos quem é Jesus e qual o seu propósito ao dar a sua vida por nós. Ela aponta para Cristo (Lucas 24.27, 44 e 49; João 5.39). Não são afirmações genéricas acerca de Jesus, mas que em cada uma das três divisões do AT (A Lei, os Profetas e os Salmos – “Escrituras”) havia verdades a respeito Dele, e que todas deviam cumprir-se. O apóstolo Paulo afirma que a salvação está vinculada a pregação do Evangelho, que é o conteúdo das Escrituras, o que nos prova mais uma vez que a Bíblia tem por propósito nos conduzir a Cristo (Romanos 10.13-15).

D. O Tesouro da Santidade

A Bíblia também tem por objetivo nos conduzir a santidade e à perfeição em Cristo Jesus (2Timóteo 3.16-17). Não adianta sermos expert bíblicos se não possuímos uma vida de santidade. O conhecimento bíblico não pode estar separado de uma vida santa diante de Deus, aliás a santidade se torna possível mediante a observação dos mandamentos – “9 Como pode o jovem se manter puro? Obedecendo à tua palavra” (Salmo 119.9).
Podemos comparar a Bíblia como aquela “Selfie” que acabamos de tirar com o flash ligado, que destaca incrivelmente as nossas imperfeições, e quanto mais zoom ou próximo a câmera está do nosso rosto mais as imperfeições são nítidas, assim, quanto mais das Escrituras nos aproximarmos, mais veremos o que há para ser corrigido. Além disso, é através dela que vencemos as tentações e lutamos contra o nosso Inimigo – “17 [...] empunhem a espada do Espírito, que é a Palavra de Deus (Efésios 6.17b).

E. O Tesoura da Esperança

A Bíblia é a resposta para todos os problemas existenciais humanos. Ela nos fala a respeito da nossa origem, da criação de todas as coisas, o porque de todo mal, da nossa salvação e como podemos obtê-la, de como deve ser a nossa conduta neste mundo, e também fala a respeito da vida após esta vida, dos tempos futuros e da vida eterna no céu.
A Bíblia nos traz passagens sobre esperança (Romanos 15.4; 1João 5.13), ressurreição (1Coríntios 15.42-45; 1Tessalonicenses 4.13-16), transformação e arrebatamento dos que estiverem vivos no dia da Volta de Jesus (1Coríntios 15.50-52; 1Tessalonicenses 4.16-17), o reino celestial (Apocalipse 21.22-22.-5).
Diante disso, quanto mais buscamos conhecer a Deus e a nós mesmos através das Escrituras, crescemos em esperança, e quanto mais crescemos em esperança mais desapegamos daquilo que é material e passageiro, aquelas coisas que roubam a nossa paz e comunhão com Deus.

Para Refletir e Praticar

1. De que forma podemos dizer que as Escrituras são o limite de nosso conhecimento a respeito de Deus? É possível conhecer a Deus e a nós mesmos através das Escrituras?
2. Podemos realmente achar Cristo no Antigo Testamento?
3. Que outros tesouros você poderia citar quando lemos, estudamos e meditamos as Escrituras Sagradas?
4. Como você pode deixar de estudar a Bíblia, sabendo que ela é um GPS para ser guiado neste mundo?

Nenhum comentário:

Postar um comentário